terça-feira, 16 de agosto de 2016

A partir de hoje, 16/8, Toninho da Farmácia terá 45 dias para convencer os eleitores de SJP/PR que, se eleito, estará “bem acompanhado” para administrar a prefeitura, apoiado por Karam e Ratinho, seus opositores na eleição de 2004.


Karan foi condenado a devolver dinheiro aos cofres do município e está pagando até hoje. Ficou inelegível, virou ficha suja, não podendo ocupar cargo, de qualquer natureza, na Prefeitura. Morto moral e politicamente, mas dono do PMDB local, coligou-se com Toninho, seu algoz em 2004. Toninho foi o vice de Leopoldo Meyer, que derrotou Karam

Ratinho apoiou Karan em 2004 e  o sócio de seu pai foi acusado de chefiar uma quadrilha que roubava caminhões e os revendia para a Bolívia. Segundo o ex-prefeito João Ferreira, os motoristas eram amarrados, colocados dentro  de um tambor e jogados num ribanceira onde tivesse um rio, para morrem afogados.  O tambor de um deles ficou prezo numa árvore e o motorista conseguiu se soltar, pegou uma carona e seguiu o seu caminhão, que veio parar no esconderijo usado pela quadrilha, em São José dos Pinhais. Hoje, Ratinho apoia Toninho que derrotou Karan e massacrou seu pai.


                PARA O PREFEITO SETIM – Por que Sandro Setim, filho do prefeito Setim, o padrinho do Toninho da Farmácia, precisou trabalhar no Gabinete do Nelson Justus, na Assembleia Legislativa, ganhando um salário milionário?

     

Nenhum comentário:

Postar um comentário